segunda-feira, 22 de junho de 2009

AOS MEUS QUERIDOS AMIGOS VIRTUAIS


Nunca te abracei,
Nem jamais sentiste o meu aperto de mão.
Diante de um computador
Mesas distantes nos separam,
Embora trocamos mensagens
Nesse mundo encantado
Que só a Net pode oferecer...
É fantástica a nossa amizade.
Imagens e sentimentos
Retratados numa telinha de um micro.
Um dia talvez...
Deixemos o virtual,
E chegamos até o real...
Quem sabe?!
E pode ser que também
Que isso nunca venha acontecer...
Mas no momento o que importa mesmo.
É que nos escolhemos.
Para usufruir essa amizade.
Tão linda e tão pura!!!
E dentro desse bem.
Que nos fez irmãos de jornadas,
Eu peço todos os dias a Deus
Que ilumine cada vez mais a estrada da tua vida...
Para que eu possa
Por muito tempo ainda.
Te chamar carinhosamente:
MEU ANJO...
LI

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Chifre para todos os lados


Os homens traem mais que as mulheres??????

Traem. Homens e mulheres estão cansados de saber disso. Mas nem tudo é tão ruim quanto parece. Ser traída pode ser bom negócio para as mulheres quando estas conseguem extrair algo de bom daí. Embora seja difícil de aceitar, (quase) todo homem trai. Resta às mulheres educá-los para que traiam menos e possivelmente deixem de trair.
Traições existem de longa data. O Código Penal Brasileiro já legislou contra os traidores: até 1995 o adultério era considerado crime, com penas que variavam de 15 dias a 6 meses de detenção. A Bíblia Sagrada condena severamente a traição. Mas os tempos mudaram... a traição perdeu seu status de ”crime” e ganhou ares de “necessidade”. Hoje quem diz ser fiel cai no descrédito. Quem tenta ser fiel é tentado a deixar de ser. E quem não é fiel nem um pouquinho tem uma relação imensa de amig@s no Orkut.
Como sobreviver a esta onda de traição? Se trair não é legal, mas são estimulados a trair para “apimentar” a relação, o que fazer para não ser descoberto? Dizem que as mulheres são mais discretas quando traem. Ao que parece, todo mundo pode ser traído e nunca descobrir. Confiar desconfiando pode ser um começo. Só o tempo e a convivência podem revelar as verdadeiras intenções da pessoa que estamos nos relacionando.
Em se tratando de admitir as possíveis puladas de cerca, os homens são mais positivos. Acham que é elegante ser visto como alguém que trai. As mulheres não costumam admitir, pois a sociedade ainda reprova a liberalidade do sexo feminino. Seja como for, penso que realmente as mulheres estão certas em afirmar: os homens traem mais. Os motivos é que não faltam.
Li outro dia uma resenha bacana de Arnaldo Jabor sobre a traição. A revista Superinteressante abordou este assunto com muito bom humor. Outro dia, a conversa rolou solta lá, no setor em que trabalho, sobre este assunto. Todo mundo tem uma opinião formada, mas ninguém consegue admitir com naturalidade que trai. Penso que trair pode até ter suas vantagens, mas quem é honesto, ou seja, quem não trai, consegue ser mais feliz, pois pode ser visto como alguém confiável.
Difícil de encontrar alguém assim? Penso que não! Ainda há pessoas que acreditam no verdadeiro amor e não conseguem se relacionar com mais ninguém a não ser com a pessoa por quem se apaixonou. Enganam-se as mulheres que pensam que os homens não se apaixonam... ficam mais bobos do que uma criança com pipoca na mão.
O jeito então é conquistar diariamente a pessoa que queremos confiar. Homens e mulheres se transformam quando são amados de verdade. A vontade de trair pode até aparecer. A tentação (principalmente para os homens) será forte. Mas tudo será pequeno se comparado ao amor contido na relação. Ninguém é obrigado a ser traído e fingir que não o é. Aceitar ser infeliz não é uma boa escolha. Se a traição é um obstáculo, que o amor seja a superação.

LI

sexta-feira, 5 de junho de 2009

ESSÊNCIA DE MULHER


Essência feminina
Ah, mulher...
Estratificando sua mente e alma.
Encontra-se grandeza.
Reviravoltas hormonais.
Teu interior vulcânico,
Complexo processo rico e doloroso.
Todo o corpo é decadente e passageiro.
O que não a impede de ser vaidosa.
De ser criativa e inteligente.
No consciente: uma constelação inerente.
No inconsciente: mel e fel.
É nos teus sonhos que virá a cura.
Tuas janelas d'alma são preocupação e sedução.
Feliz e intensa serás, se não se deixar levar.
Por preconceituosas óticas que paralisam.
E Deus recolherá tuas lágrimas,
Recompensada serás na hora certa.
Pois, a costela de Adão era feita de cálcio,
Mas, também de ligações de açúcares,
Cloreto de sódio e essência feminina.
Gerou-se então, o botão da flor sanguínea
Mulher, mãe, adolescente, idosa ou menina.
Cópia de Querubins e Serafins.
Suavidade e vida que cria vida.
Conforto doce cuja contemplação vicia...
Suas pernas, mesmo cansadas: são colunas.
Seus braços, seu colo quente e seu corpo:
São irresistíveis fontes de prazer para a criança.
Seja essa criança da idade que for...

sábado, 16 de maio de 2009

ASSUNTO BEM PREOCUPANTE

Estava lendo as noticias de hoje na internet e este assunto me preocupou e passo para as amigas lerem - e também - se preocuparem:

Levantamento em SP mostra que mulher morre mais de infarto do que homem

Da Agência Estado - Em São Paulo

Mulheres que sofrem infarto morrem mais do que os homens em qualquer faixa etária. É o que mostra levantamento realizado pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo com base em dados do ano passado dos hospitais públicos do Estado. Na média, de acordo com a pesquisa, a cada 100 homens internados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) devido a um enfarte, 12 morrem. Já entre as mulheres, a taxa de mortalidade é maior: são 18 mortes a cada 100 internadas.
A situação é semelhante em todas as faixas etárias. De 30 a 39 anos, por exemplo, a taxa de mortalidade das mulheres representa 13,33% do total de internações, enquanto, nos homens, é de 5,61%. Na faixa de 80 anos, a cada 100 mulheres internadas, 34,82 morrem. Entre os homens, são 27,22. Até pouco tempo, a literatura médica mostrava que a incidência de infarto abaixo dos 65 anos era considerada incomum entre o público feminino.
Assim, as próprias mulheres negligenciam a prevenção ao sentir os primeiros sintomas. Não procuram o pronto-socorro ao menor sinal de dor no peito, como fazem os homens, porque culturalmente se acostumaram a suportar mais a dor. A negligência na avaliação dos sintomas também parte da classe médica, porque a possibilidade de a mulher estar enfartando não é tão investigada nos prontos-socorros pelos médicos, como ocorre com os homens. Por esse motivo, eles recebem mais medicamentos, exames preventivos e indicações de cirurgia.
"Mulheres que enfartavam tinham sempre mais de 65 anos. Hoje as mulheres fumam mais e estão presentes em ambientes de trabalho competitivos e estressantes. Por esse motivo, esse mal acomete cada vez mais pessoas do sexo feminino com 30, 40 anos", afirma Marcelo Ferraz Sampaio, chefe do Laboratório de Biologia Molecular do Instituto Dante Pazzanese. "As artérias coronárias das mulheres são menores e mais finas do que as dos homens. Essas características anatômicas tornam as cirurgias mais difíceis e aumentam as possibilidades de complicações durante e após as operações. Pelo fato de as artérias sofrerem mais lesões, o infarto é mais intenso e mais grave, e isso aumenta a mortalidade", diz o especialista.

LI

segunda-feira, 11 de maio de 2009

♥"Auto conhecimento é fundamental para se relacionar"♥

Auto conhecimento é fundamental para se relacionar
As relações em geral são sempre motivo de queixas e uma das mais frequentes é o modo pelo qual somos tratados, independente dos motivos.
A frase: "O oposto do amor não é o ódio, é a indiferença" de Érico Veríssimo, nos faz lembrar em como as pessoas tratam com indiferença aqueles com quem convivem e dizem amar.
Não, com certeza isso não é amor!
Algumas pessoas entram na vida de outras e fazem um verdadeiro estrago... e sequer demonstram arrependimento, sequer voltam para pedir desculpas ou saber como você está se sentindo.
Quem já foi alvo da indiferença sabe a dor e o estrago que causa, e sabe também que os cacos serão um a um recolhidos, mas até isso acontecer quanto sofrimento provoca...
E quem causou isso continua a vida, muitas vezes sem sentir o mínimo de dor, ao menos aparentemente, e vai machucando outros por onde passa.
Claro que um relacionamento afetivo tem sua base e suas peculiaridades, e se um faz algo, foi porque o outro permitiu; mas a verdade é que quem não está bem consigo mesmo, deveria no mínimo ter a responsabilidade de não se envolver com outra pessoa. Sim, muitas pessoas não têm a percepção de não estar bem, e quando se relacionam, o outro muitas vezes funciona como um verdadeiro espelho, ou seja, aquilo que não vê em si mesmo, projeta no outro, acreditando verdadeiramente que não lhe pertence.
Usa o outro como espelho, sempre com o dedo acusador, sem se dar conta de que apenas está projetando no outro tudo que não consegue -ou não quer- enxergar em si mesmo.
É importante pensar ainda que se "envolver" para um pode não ter o mesmo significado para o outro, pois a maioria apenas mantém relações superficiais.
Enfim, as variáveis são muitas, o que não nos impede de refletir sobre as possíveis causas e suas consequências, e assim ficarmos mais atentos na próxima relação. Afinal, os erros e as experiências são para aprendermos.
Portanto, cabe a quem conhece esse processo não cair em tal cilada.
As pessoas estão tão alienadas de si mesmas, vivendo tão na superficialidade, que se esquecem de valores básicos como educação e, acima de tudo, respeito.
Mas como podem se preocupar com o que o outro sente se não identificam nem aquilo que está bem dentro de si mesmo?
Como respeitar os sentimentos do outro, se não respeitam nem os próprios sentimentos?
Diante de tantos desencontros, como se envolver, verdadeiramente, sem se machucar?
Sim, o outro machucou, e nós, por vários motivos, conscientes ou não, permitimos, consentimos, nos iludimos, criamos expectativas, e ainda não consideramos vários sinais, sutis ou evidentes e o resultado disso tudo é um só: dor, dor e mais dor! Muitas vezes fazemos muito, cedemos muito, com a intenção que a relação dê certo; esperamos que dessa vez fosse diferente, mas não é!
Decepcionamo-nos.
E talvez se decepcionem conosco.
Seja qual for a realidade, todos podemos aprender com tudo que acontece.
Mas só aprende quem quer, quem deseja crescer, evoluir, e está aberto para perceber quanto o autoconhecimento é fundamental, do contrário situação semelhante voltará a acontecer, tanto para quem machucou como para quem foi machucado.
Ficar apontando o dedo, criticando, julgando, só demonstra o quanto não se consegue olhar para dentro de si.
Não é nada fácil ter a coragem para enfrentar um processo de análise, o qual tem como objetivo principal o autoconhecimento, por isso é muito mais fácil apontar o que o outro, supostamente, fez de errado.
Propor-se e se comprometer a ficar toda semana sentado por uma hora, durante um período indeterminado, para se encontrar consigo mesmo, e assim buscar a origem de seus conflitos, identificar suas máscaras, entender os motivos de seus comportamentos, encontrar sua verdadeira essência, realmente não é para qualquer um!
Muitas vezes, quem nunca passou pelo processo, acusa o outro por todas as dificuldades encontradas no relacionamento, e se esse também não se conhece, facilmente irá assumir toda a culpa pelo que não deu certo.
Isso acontece mais frequentemente nas relações afetivas, mas também encontramos conflitos por falta de autoconhecimento nas relações de amizade, familiar e profissional.
Autoconhecimento deveria ser condição básica para qualquer tipo de relacionamento. Já dizia Sócrates: "Conhece-te a ti mesmo", e eu acrescentaria: "... antes de se envolver emocionalmente com outra pessoa".
Quando uma pessoa -eu, você-, pretende, quer ou começa a se envolver com alguém, deve sim ter a responsabilidade de estar bem consigo mesmo para não jogar todos seus lixos no outro, pois é isso que acontece quando não se conhece a si próprios. Ninguém tem a responsabilidade de salvar, suprir necessidades emocionais do passado, ou mudar o histórico de vida de ninguém, pois isso é impossível, mas também ninguém tem o direito de piorar aquilo que já foi ou é tão difícil de ser superado.
Ainda que a pessoa não saiba nada sobre o passado e as necessidades do outro, deve respeitá-lo acima de tudo como ser humano e lembrar que todos têm um histórico, uns mais difíceis de serem superados, outros menos.
As pessoas sequer têm consciência de suas necessidades emocionais, as quais dão origem às máscaras, e saem em busca de quem as salve, quando elas mesmas não conseguem se salvar.
Complicado?
Pode parecer, mas não é.
Todos nós utilizamos máscaras, pois é um processo inconsciente como proteção e defesa da dor, mas sem autoconhecimento vivemos como se essas máscaras fossem nossa essência, o que não é verdade, pois nossa essência está escondida, e só a descobrimos quando nos dispomos a nos conhecer.
Diante desse quadro a maioria dos relacionamentos envolve apenas mascarados.
Eu uso minhas máscaras (das quais sequer tenho conhecimento), você utiliza as suas, e o conflito se instala.
E o amor só pode ser realmente sentido quando duas essências se encontram, é essa a grande diferença!
Num encontro de duas pessoas que estejam abertas para evoluir, há sempre a oportunidade de ambos aprenderem um com o outro e crescerem.
Uma relação é feita a dois, cuja base é a troca... de afeto, carinho, atenção, amizade, cumplicidade, respeito, verdade, fidelidade, amor!
E quando não se está preparado para tal troca e crescimento, é muito melhor encontrar-se antes consigo mesmo para só depois se permitir encontrar-se com o outro.

LI

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Mãe




Hoje dia das Mães!Volto meu pensamento para a Mãe de toda a humanidade,principalmente a Mãe de todas as Mães,aquela que a todas escuta, atende e perdoa, a Mãe do Redentor, a advogada dos que um dia deslizaram por caminhos tortuosos e buscam na sua piedosa intercessão novas trilhas,novos horizontes.
A mãe dos necessitados. dos oprimidos, dos que sofrem, dos que imploram à Virgem Maria.
Mãe querida!!!abençoe e conforte todas as Mães,que hoje choram: umas emocionadas pelo carinho e a presença de seus filhos,outras choram pela perda física, pelo filho preso,pelo filho enfermo,pelo filho que se perdeu nas drogas.Outras querida Mãe choram pela ausencia de seus filhos.
A senhora bem sabe o quanto dói o desprezo, a falta de carinho, atenção, compreensão, amor e ate mesmo de valor.Quantas Mães estão hoje abandonadas nos Asilos e tambem nas ruas.
Como gostaria querida mãe, que todas as Mães principalmente hoje, não ficassem tristes ou ate mesmo chorassem por seus filhos, que hoje reinasse a alegria em seus corações, o sorisso em seus lábios.
Hoje minha alegria é grande pois posso dar um beijo em minha Mãe.
Senhora!!!!!Tu que és a mais Santa de todas as Mães, zele por todas, mostrando o seu exemplo de ternura e bondade ,mesmo com todo sofrimento que passastes pelo seu filho Jesus Cristo e por todos os filhos deste mundo, e continuas fortalecendo a todas que em vós teem fé.
A todas as Mães meu desejo é :que os frutos do seu amor,embalados na ternura do teu amor, moldados pela força do teu amor, dê à todas elas mais tarde a felicidade do reconhecimento e da gratidão.
Por isso MÂE SANTA E QUERIDA te peço com todo amor e confiança, enxugue as lágrimas das Mães sofredoras e abençõe a todas as Mães do mundo inteiro.
FELIZ DIA DAS MÃES!!!!!!!!!!!!!!!
LI

quinta-feira, 7 de maio de 2009

A ARTE QUE NÃO ENTEDIA



Num ensaio sobre a literatura de Guimarães Rosa, Benedito Nunes coloca em ordem crescente de valor as qualidades que Rosa perseguia no texto: o enredo, a linguagem, a poesia e a metafísica. É curioso que mesmo sendo um escritor pós-freudiano, ele não tenha se referido à psicologia. E há quem afirme que, depois de Freud, nenhum artista ficou imune à psicanálise.

Mario Benedetti, um uruguaio da geração de Júlio Cortazar e Carlos Fuentes, seria um deles. "Quem de nós", novela publicada em 1950 e só agora editada no Brasil pela Record, é uma longa sessão psicanalítica fora do divã, com poesia e linguagem bem cuidada, um enredo cortaziano surpreendente, em que não falta metafísica.


Dividida em três partes, a primeira delas é a sessão de Miguel. Sozinho em casa, depois que a esposa Alicia decidiu abandoná-lo e partir em busca de Lucas, um amigo que completa um triângulo amoroso de adolescência, ele senta-se e escreve. Apesar da escrita instigante, da crua avaliação que o personagem faz de si mesmo, imaginamos tratar-se de mais um livro em que vários personagens expressam os seus pontos de vista sobre um mesmo tema, no caso, o amor conjugal mal sucedido e a separação. Chegamos a lembrar o conto Num Bosque, do japonês Ryonosuke Akutagawa, em que uma mesma história é relatada de formas diversas, segundo a ótica de cada narrador. Miguel analisa a esposa, o amigo Lucas, os dois filhos, os pais, a amante e, principalmente, a si próprio.


O livro poderia ser um enfadonho consultório sentimental, se Mario Benedetti não fosse um perspicaz investigador das virtudes e dores do homem, sem o medo de vasculhar feridas, fazendo revelações surpreendentes e originais a cada página: No invejoso existe uma vontade, uma atitude de esforço ou, no pior dos casos, de capricho, que indiretamente o faz culto, laborioso, incansável. A inveja é o único vício que se alimenta de virtudes, que vive graças a elas.

O segundo personagem a se deitar no divã de Benedetti é Alicia, a esposa que toma a mesma decisão de Nora, a heroína de "Casa de Bonecas", de Ibsen: abandonar a casa, o marido e dois filhos. A diferença é que Nora deixa o mundo doméstico, onde viveu oito anos, para pensar em si mesma e tentar compreender as coisas. Alicia deixa a casa onde viveu onze anos, escreve uma carta e revela: Não posso mais, vou embora com Lucas. Sua busca possui endereço e destinatário.

O leitor imagina que tudo será previsível no terceiro capítulo, que por motivo óbvio se chama 'Lucas', e certamente terá as confissões do suposto amante, fechando a novela. Mas Benedetti é surpreendente e puxa o tapete sob os pés do leitor. Lucas é um jornalista que escreve contos e em vez de revelar-se em tom confessional, como Miguel e Alicia, prefere transformar o drama que vive num texto literário. Os personagens assumem nomes fictícios no conto de Lucas, narrado no corpo principal da página. Em notas de rodapé, o narrador Lucas explica como elaborou o conto, referindo os nomes reais dos personagens. São duas histórias se narrando dentro de uma mesma história, o que deixa o final da novela em aberto. Um quebra-cabeça ao estilo do que será desenvolvido por Cortazar no seu romance mais famoso, "O Jogo da Amarelinha".

Mario Benedetti nos diz que por mais real que pareça, tudo o que acabamos de ler não passa de uma invenção. É que a arte nunca deixa de ser uma mentira; quando é verdade, já não é arte e entedia, porque a realidade é apenas um irremediável e absurdo tédio.

A REALIDADE PODE SER RICA EM TODOS OS ASPECTOS QUE FIZERMOS POR ONDE SER!!

**Texto elaborado á partir do Livro de Ronaldo Correia de Brito.
***Ronaldo Correia de Brito é médico e escritor. Escreveu Faca e Livro dos Homens.

LI

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Homenagem ao dia das mães


Esta homenagem é para a mulher mais maravilhosa do mundo.
Mãe
Nem mesmo as rosas são tão belas
Nem as flores em botão
Sua beleza é eterna
e reside no coração.

Não há mulher mais querida
nem homem com tanto valor
Mãe é terra bendita
e nós, o fruto da vida

Que dela brotou da semente
escolhida pela natureza
germinada na terra indulgente
Grande milagre da vida.

Mãe é ternura infinita,
em todos os níveis da criação
É a porta onde Deus nos deixa
e solta nossa mão...

Só nela ele confia
o carinho e proteção,
Mãe acolhe e protege
dá a vida de sua vida

Vence a dor de qualquer ferida
o peso da ingratidão
ela cuida e dedica
e nunca larga sua mão...

Pois assim, Deus lhe confiou
Essa dura e maravilhos missão!


LI

Boa noite!!!






To chegando cheia de denguinho pra dar
Cheia de vontade de miar
Hummmmmmm


KKKKKKKKKKK
Tá dificil....
Tudo bem ....
Tenho paciência...
Quem sabe um dia encontro
do jeitinho que desejo...
Enquanto ele não aparece
Vou levando a vida com muito amor
Me divertindo um pouquinho
Vivendooooooo

Meus amores
Desejo uma quinta feira
Cheia de saúde, paz e amor
Que DEUS esteja sempre presente em teus dia
Beijinhos dengosos
Pra vocês!!
LI

terça-feira, 5 de maio de 2009

Eu sou o verdadeiro amor




O amor só é grande quando sofre perdoa e tem saudades.
Amar foge a todas as regras,
ninguém sabe de onde vem,
nem como acontece,
mas é o que dá sentido
a todos os outros sentidos da vida.

Queridos amigos coloco um questionamento e gostaria que me respondessem.
Voces acreditam em Amor Virtual???
Já viveram um Amor Virtual???
Grande beijo.

LI

CANSEI ! ! ! ! ! !



Já não faz sentido.
Cansei da contra-mão.
Quero transparências.
De evidências certas.
Vivendo em paralela.
Dum futuro a dois.
Sou simples.
Só quero.
Mais colorido.
Me alimentar nos sonhos.
Com brilhos.
Viver a vida sem mistérios.
Só com os sentimentos nobres.
Que pessoa simples merece ter.
Desculpe meu amor.
Mas o meu sentido de rota mudou.
Pede liberdade.
Na preferêncial desse mesmo
sentimento que chamamos de amor!

LI

segunda-feira, 4 de maio de 2009

LIBERDADE! ! ! ! ! PARA EXISTIR AMOR



"Love is a by-product of freedom; it is the overflowing joy of freedom,
it is the fragrance of freedom. First the freedom has to be there,
then love follows."Palavras de Osho.

Para existir amor tem que haver muita liberdade.Deixar o outro livre para existir, respirar,viver,não como temos vivido amores impossiveis por pura sufocação.
Quando alguém entra em nossa vida, automaticamente ,entramos também na do outro, mas isto não quer dizer,que adiquirimos a posse, compramos a alma, e apagamos o passado e toda a agenda de amigos,filhos, ex.,muito pelo contrário, isto vem na bagagem como
como também levamos uma bagagem.
Meu bem não sou sua,sou do mundo, apenas estou compartilhando meus momentos e parte da minha vida contigo.
Me aceite como sou.
Não me sufoque ! ! !

LI

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Almas Gêmeas





Há quem afirme seguramente que as almas gêmeas vivem muitas vidas e se encontram, de uma maneira ou de outra, em todas elas. Numas, conseguem ficar juntas pelo amor; noutras, porém, enfrentam dificuldades e sofrimentos tão grandes que não é possível a união desejada. O encontro é doloroso, ainda que ofereça a possibilidade da evolução.
Certamente esta crença está baseada justamente neste conceito da evolução espiritual. Embora eu também acredite nisso – no intuito de estarmos aqui para evoluir – o fato é que não me arrisco a afirmar, com certeza absoluta, que já vivi outras vidas. Se vivi, não me lembro e creio que haja uma razão muito justa para que nem eu e nem ninguém se lembre tão facilmente, caso seja esta a sina das almas. O fato é que o foco não é o que a gente viveu, mas o que pode viver, aqui e agora.
Então, penso que é melhor nos concentrarmos nesta vida e nos empenharmos para viver nesta o privilégio do encontro. Afinal de contas, cada dia é uma escolha que fazemos. Cada minuto nos direciona para um lado ou para outro. É a soma de nossas atitudes e escolhas que nos leva (ou não) ao lugar certo, na hora certa, para que o tão esperado encontro com a alma gêmea nossa aconteça.
Além do que, independentemente do número de vidas que já vivemos ou iremos viver, é sempre esta a que mais conta, para que possamos sair desta dimensão melhores de quando entramos.
Creio que se seguir a voz do meu coração, tentando voltar sempre ao verdadeiro caminho, o encontro acontecerá. E mais do que saber, é essencial que nos permitamos sentir. Mais do que certezas (que não existem, na verdade!), precisamos arriscar. Mais do que esmorecer, desacreditar ou perder o desejo de experimentar o amor, precisamos nos entregar e mergulhar na vida. Assim, todo o mais se realiza, inevitavelmente!
Entretanto, se realmente acredito que as respostas já estão dentro de cada um de nós. Por que deveria acreditar que eu tenho algum segredo para contar sobre como encontrar a alma gêmea?
O fato é que, embora sejamos genuinamente sábios, é através do exercício de compartilhar a sabedoria individual que nos tornamos pessoas completas e imensuravelmente mais preparadas para a vida e para o amor.
Todos os que passam pela nossa vida em busca de seu grande amor acrescentam à sua história os seus predicados exclusivos, iluminam nossos passos rumo ao próprio coração e contribuem para que nos tornemos um ser humano melhor, mais preparado para o encontro com a nossa alma gêmea.
Todos escrevem ao menos uma linha de sua história e, independentemente do tempo que permanecem, farão parte dela para sempre, pois podemos, com cada uma dessas pessoas, estar mais próximo de si e, assim sendo, de sua busca pessoal, da nossa missão de vida.
O que quero dizer é que ninguém sabe tudo e todo mundo sabe alguma coisa. É a humildade de ensinar e, principalmente, a de aprender que nos torna aptos à felicidade.
Jorge Versilo cantou lindamente em Monalisa esta verdade:

...Tudo que se foi vivido
Me preparou pra você
Não se ofenda
Com meus amores de antes
Todos tornaram-se pontes
Pra que eu chegasse a você...

LI

sábado, 25 de abril de 2009

MULHER PLENA


Ser mulher é ser um ser maravilhoso
Perfeito feito da costela de Adão
Linda, sempre em qualquer situação
Em sua plenitude total.
Alucinando e desvairando
Os corações masculinos
Perfeita em tudo o que faz
Plena no amor ,na entrega
Enfim ser mulher é maravilhoso
E estar ao lado de um homem é mais ainda.
Um olhar integrado sobre os papéis da mulher e sua essência
Por conta das rápidas e muitas mudanças que as mulheres
vêm promovendo no mundo,em suas próprias vidas e,
principalmente, no mercado de trabalho,
é bastante compreensível que surjam
dúvidas de como se comportar perante novos papéis,
antigas crenças, intensos desejos e tantas expectativas.
Dedico esta poesia á um novo amigo
Que escreve maravilhosamente.
E me deixa encantada com suas poesias.

LI

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Cego, mas enxergando: o sentido visual subconsciente do cérebro

The New York Times

O homem, um médico que ficou cego após dois derrames sucessivos, se recusava a participar do experimento. Ele não podia ver nada, disse, e não tinha interesse em percorrer o trajeto com obstáculos - um corredor com coisas espalhadas - em prol da ciência. Por que se dar ao trabalho?

Quando ele finalmente tentou, algo incrível aconteceu. Ele percorreu em ziguezague o corredor, evitando uma lata de lixo, um tripé, uma pilha de papel e várias caixas como se pudesse ver tudo claramente. Um pesquisador permaneceu próximo dele caso tropeçasse.

"Era preciso ver para acreditar", disse Beatrice de Gelder, uma neurocientista de Harvard e da Universidade de Tilburg, na Holanda, que com uma equipe internacional de pesquisadores do cérebro relatou sobre o paciente na segunda-feira (22), na revista "Current Biology". Um vídeo está disponível online em
www.beatricedegelder.com/books.html.

O estudo, que incluiu abundantes imagens do cérebro, é a demonstração mais dramática até o momento da chamada visão cega, a habilidade natural de sentir as coisas usando o sistema visual primitivo, subcortical - e inteiramente subconsciente - do cérebro.

Os cientistas informaram previamente casos de visão cega em pessoas com danos parciais nos lobos visuais. O novo relato é o primeiro a mostrá-la em uma pessoa cujos lobos visuais - um em cada hemisfério, sob o crânio na parte posterior da cabeça- foram completamente destruídos. A descoberta sugere que as pessoas com lesões semelhantes podem ser capazes de recuperar certo sentido visual rudimentar com a prática.

"É um relatório feito com muito rigor e a primeira demonstração disto em alguém com aparente ausência total do córtex estriado, a região de processamento da visão", disse o dr. Richard Held, um professor emérito de cérebro e ciências cognitivas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), que juntamente com Ernst Poeppel e Douglas Frost, escreveu o primeiro relato publicado da visão cega em uma pessoa, em 1973.

O homem no novo estudo, um africano que vivia na Suíça na época, sofreu dois derrames quando estava na faixa dos 50 anos, em um intervalo de semanas, e era profundamente cego segundo qualquer medição habitual. Diferente de pessoas que sofrem com lesões nos olhos, ou cegueira congênita na qual o sistema visual se desenvolve de forma anormal, seu cérebro era fora isso saudável, assim como seus olhos, de forma que dispunha das ferramentas necessárias para processar a visão subconsciente. O que ele carecia era dos circuitos que formam uma imagem clara e consciente.

A equipe de pesquisa empregou tomografias do cérebro e imagens de ressonância magnética para ver as lesões, não encontrando evidência de atividade visual no córtex. Ela também não encontrou evidência de que o paciente estava se locomovendo por ecolocalização, como fazem os morcegos. Tanto o paciente, T.N., quanto o pesquisador que o acompanhou, percorreram o trajeto em silêncio.

O próprio homem ficou tão surpreso quanto todo mundo por ter conseguido percorrer o trajeto de obstáculos.

"Segundo minha experiência, quanto mais instrução a pessoa tem", disse De Gelder, "mais difícil é acreditar que possui esses recursos de que não está ciente para evitar obstáculos. E essa era uma pessoa com formação elevada".

Os cientistas há muito sabem que o cérebro digere o que entra pelos olhos usando dois conjuntos de circuitos. As células na retina projetam não apenas para o córtex visual - as regiões destruídas neste homem- mas também para áreas subcorticais, que em T.N. estavam intactas. Eles incluem o colículo superior, que é crucial para o movimento dos olhos e pode ter outras funções sensoriais; e, provavelmente, os circuitos que correm pela amídala, que registra a emoção.

Em uma experiência anterior, um dos autores do novo trabalho, o dr. Alan Pegna, dos Hospitais Universitários de Genebra, apontou que o mesmo médico africano tinha visão cega emocional. Quando colocado diante de imagens de rostos atemorizantes, ele contraiu os músculos subconscientemente, da mesma forma que a maioria das pessoas, apesar de não poder ver conscientemente os rostos. O sistema visual primitivo, subcortical, aparentemente registra não apenas objetos sólidos, mas também fortes sinais sociais.

Held, o neurocientista do MIT, disse que nos mamíferos inferiores, estes sistemas parecem exercer um papel maior na percepção. Em um estudo envolvendo ratos publicado na revista "Science" da última sexta-feira, os pesquisadores demonstraram que as células nas profundezas do cérebro eram na verdade especializadas em registrar certas qualidades do ambiente.

Elas incluem células de localização, que disparam quando um animal passa por certos marcos terrestres, e células de direção da cabeça, que rastreiam para onde o rosto está apontado. Mas o novo estudo também encontrou forte evidência do que os cientistas, da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, em Trondheim, chamam de "células de fronteira", que disparam quando um animal está próximo de uma parede ou algum tipo de fronteira.

Todos esses tipos de neurônios, que existem em alguma forma nos seres humanos, também podem ter auxiliado T.N. em seu percurso do trajeto com obstáculos.

Com o tempo, e prática, pessoas com lesões cerebrais podem aprender a fazer maior uso desses sistemas subconscientes ou semiconscientes, e talvez até mesmo começar a construir uma certa visão consciente a partir deles.

"Não se sabe quão aguçada poderia ser", disse Held. "Provavelmente seria um senso espacial vago, de baixa resolução. Mas poderia lhes permitir se movimentar de forma mais independente."





LI

quarta-feira, 15 de abril de 2009

A Voz do Silêncio










A Voz do Silêncio
É sempre assim...
Já não dá para chamar de trama, pois virou roteiro.
Primeiro foi o Luiz um amigo que, ao entrar em minha casa, me pediu para gentilmente desligar o inofensivo rádio, que espalha por aqui música ambiente em volume muito, muito baixo.Depois veio a Deby, que me enviou por um video do youtube sobre o tema "silêncio".
Hoje foi a Sania, que me contou um fato raro:estava ela na fila do Correio quando encontrou depois de anos uma conhecida, pessoa surda e muda, com a qual se comunicou sem palavras, pela leitura labial... algo que ainda não tinha feito antes...e que eu visualizei como se estivesse lá com ela, abrindo um profundo sorriso nos lábios, que me pegou novamente agora ao digitar.
A cereja em cima do bolo veio enquanto me arrumava, quando veio forte em minha mente a frase em italiano que dizia claramente: La voce del silenzio...
Sou cabeça dura, mas ficou logo evidente, em frente ao espelho, o tema do especial.
Espero não cansa-los com estas observações que normalmente coloco no começo do texto, mas acho relevante transmitir como as sincronicidades se sucedem quando estamos receptivos e observamos o que acontece, vindo sempre de forma simples e suave à nossa volta.
É precioso verificar que nunca estamos isolados, sendo que todos fazemos parte da poderosa teia de energia que amorosamente nos envolve e nos coloca no lugar certo, na hora certa, para, de alguma forma, passar à frente uma mensagem legal, que alimente mais e mais nossa alma.
Bom, rápida busca no google e veio em menos de um segundo este video...

A VOZ DO SILÊNCIO

Queria estar um pouco só

para pensar e tu o sabes,

e ouvi no silêncio

uma voz dentro de mim,

e voltam a viver demais coisas

que achava já mortas.

E quem tanto amei

do mar do silênciovolta

como uma onda nos meus olhos,

e aquilo que me falta

no mar do silêncio

me falta sabes, muito mais...

Existem coisas num silêncio

que não esperava nunca,

queria uma voz

e de repente

reparas que o silêncio

tem o rosto das coisas que perdeste.

e eu te sinto amor

te sinto no meu coração,

estás retomando o lugar que

tu não havias perdido nunca

que não havias perdido nunca

que não havias perdido nunca.

Queria ficar um pouco sozinho

para pensar tu sabes,mas há coisas num silêncio

que não esperava nunca,queria uma voz...

E de repente

reparo que o silêncio

tem o rosto das coisas

que perdeste,e eu te sinto amor

te sinto em meu coração

,estás retomando o lugar que

tu não havias perdido nunca

que não havias perdido nunca

que não havias perdido.

tu não havias perdido nunca


La Voce Del Silenzio:

Volevo stare un po da solo

per pensare tu lo sai.

ed ho sentito nel silenzio

una voce dentro me.

e tornan vive tante coseche credevo

morte ormai.

E chi ho tanto ama

todal mare del silenzio

ritorna come un

onda

nei miei occhi,

e quello che mi manca

nel mare del silenzio

mi manca sai molto di più.

Ci sono cose in un silenzio,

che non mi aspettavo mai,vorrei una voce.

ed improvvisamenteti accorgi che il silenzio

ha il volto delle cose che ho perduto

ed io ti sento amore,ti sento nel mio cuore,

stai riprendendo il posto chetu non avevi perso mai,

che non avevi perso mai,che non avevi perso mai.

Volevo stare un po da soloper pensare tu lo sai,

ma ci son cose in un silenzio

che non mi aspettavo mai,vorrei una voce.

Ed improvvisamente

ti accorgi che il silenzio

ha il volto delle cose che hai perduto,

ed io ti sento amore,ti sento nel mio cuore,

stai riprendendo il posto che

tu non avevi perso mai

tu non avevi perso mai

tu non avevi perso.

tu non avevi perso mai.


pela voz de Andrea Bocelli com a lindíssima região da Toscana ao fundo.
A música me arrepiou o corpo todo, mesmo que, de início, tivesse julgado tratar-se de mais uma singela canção de amor, falando de saudade ou de perda.
Mas senti com clareza que não era isso que ela me passava.
Sempre, desde que o mundo é mundo, os poetas e os músicos em sintonia com as esferas superiores conseguiram tocar as pessoas mais sensíveis e despertas driblando as censuras e as normas obscurantistas dos poderosos, dos patrulhadores de plantão...
e a Itália ainda sofre amplas influências nocivas neste sentido, vindo pontualmente de Roma!
Foi muito simples: bastou trocar a palavra "amor" por "minh´Alma" e tudo passou a fazer mais e mais sentido.
E -em silêncio sagrado-, agradeci profundamente.
E de repente reparo que o silêncio tem o rosto das coisas que perdeste,e eu te sinto amor te sinto em meu coração,estás retomando o lugar que tu não havias perdido nunca.
É desta forma, como nas palavras tão íntima e profundamente cantadas pelo Andrea Bocelli, que se processa, finalmente, o fim da busca no mundo exterior, o reencontro com a essência imortal que em nós habita, após uma longa e estéril caminhada no mundo da ilusão, com suas luzes de brilho tão intenso que chegam a nos queimar por fora, com seus ruídos perturbadores que atordoam, hipnotizam e entorpecem nosso centro, que desde sempre pede paciente e ardorosamente para sair da sombra, ser reconhecido e ouvido, lá onde o estridente som da rua, das buzinas, dos sinos não consegue mais chegar...
no encontro definitivo com a Fonte, o que alguns sábios chamam de vazio criador que a tudo contém.
Como é maravilhoso ter o dom de comunicar as grandes verdades da vida pela voz tão melodiosa e pela música -a linguagem universal-, a vibração que atinge o mais fechado dos corações... a cada nota suave transmitindo a mensagem do amor... gota após gota por fim perfurando a mais endurecida couraça.
O Universo trabalha assim, com infinita paciência, relevando nossos erros, nossas omissões, nossa apatia e o medo para enfrentar os desafios da caminhada...
Dá para perceber, olhando para trás, os passos dados até aqui, o quanto já nos equivocamos, deixamos a desejar, sem por isso incorrer em qualquer punição ou reprimenda.
Tivemos nossas aulas de experimentação e incontáveis provas para transpor, mas quem nos colocou na contenda nos entregou as ferramentas e os instrumentos para passar de fase... aprendemos que é indispensável sair da sombra ou do falso brilho exterior e olhar para dentro, pra abraçar novamente nossa Alma, que "não havíamos perdido nunca".
Vamos refazer juntos a descoberta que a letra da música nos sugere e colocar entusiasmo e movimentos de amor em nossa vida...
voltar a sentir sem precisar ver ou ouvir, simplesmente captando a mensagem que vem de dentro, das nossas entranhas; mensagem esta que liberta, conforta, ampara e protege.
Vamos buscar em nosso centro o mapa original de nossa missão, as informações gravadas profundamente em nosso banco de dados, que nos conduzem, a todos, pois todos estamos aqui com um propósito único e bem claro, a concretizar, enfim, a obra da Unidade, da Paz interior que nos irmana definitivamente, que nos tira da incerteza, da mesmice e da ignorância.
Vamos buscar a realização suave e verdadeira, que se sobrepõe ao desmando, à injustiça, à corrupção que vemos lá fora, mas que faz parte do mundo de maya.
É ilusão, é parte do processo de depuração do joio e do trigo; jogo -mas não jugo-, visto que somente participam desta balada inconsequente os que não entenderam a mensagem da canção e que -poderá demorar, mas chegarão lá também-, não conseguiram mergulhar no "mar do silêncio", que ainda não sabem o quanto sua alma está perdida e faminta.
Apesar da ilusão na qual estão imersos, são unos com tudo e saberão no momento apropriado, retornar ao convívio com a Luz, com o amor incondicional que a tudo conserta e cura, o bálsamo definitivo, absoluto.
Somos um só e a cada dia nos dedicamos mais e mais ao serviço da compaixão, sempre disponíveis e amorosamente guiados e amparados.
A vida é um jogo deslumbrante, justo e perfeito.
Há somente uma regra e esta é simples: precisa apenas colocar o amor em tudo. Não há vencedores ou vencidos, pois não se trata de mais uma férrea competição desta dimensão terrena, e o que importa é atingir uma vibração que liberta, fascina, encanta e congrega.
O tempo, aqui nesta arena, não conta, é supérfluo. O que vale é a transformação de nossa Alma, nos fazendo mergulhar novamente no mar de Luz que carregamos desde sempre em nosso peito...
Vamos, juntos, respirar o silêncio, entrar de vez na onda melodiosa que o amor proporciona? Vamos fazer nossa parte, dando nosso exemplo, sendo mensageiros da esperança e da Paz? Escreve a Izabel Telles: "A intenção remove montanhas, as portas estão abertas e a oportunidade bate à nossa Casa convidando a todos para o grande salto de fé.
Sinto muito - Eu te amo - Muito obrigado.

LI

quinta-feira, 2 de abril de 2009

NÃO QUERO ACABAR MEU CASAMENTO!!!!!!!!!!

Formas de evitar o estresse no relacionamento

Pequenas mudanças podem resultar na felicidade tão desejada

Recentemente, ao acessar o site Minha Vida, me deparei com a seguinte enquete: "O que mais te estressa?" Por curiosidade, cliquei para ver a porcentagem dos resultados, e para a minha surpresa o ranking era o seguinte: Filhos 10%, Trânsito 18%, Trabalho-19%, Falta de tempo 23% e Relacionamento 30%. Esses dados me levaram a uma reflexão:
"Por qual motivo as pessoas têm se estressado mais com os seus companheiros do que com o trânsito que anda insustentável ou com a falta de tempo que por vezes nos faz abdicar de alguns prazeres pessoais?”
Aliando os meus conhecimentos às minhas idéias e experiências profissionais e pessoais, cheguei à conclusão que os principais motivos para tal estatística são a rotina, a frustração pela falta de tempo para a família, a irritabilidade por desejar que o outro seja como você, as brigas, os ataques de ciúme, a ex, o colega de trabalho, as crianças pequenas, as contas da casa, a situação
Portanto, pensei o que fazer para ajudar a reduzir o estresse, e deixar de fazer parte dessa triste estatística, pois é no relacionamento que devemos nos sentir mais felizes, amados, completos e realizados.
1- Diminuir o ritmo e procure ir se acalmando e relaxando no caminho do trabalho para casa, ouvindo uma música ou lendo um livro , para que você não chegue a casa na fúria e despeje toda a sua raiva e frustração no primeiro que aparecer na sua frente. Não se esqueça que os familiares e os parceiros não são culpados pelos seus problemas no trabalho.
2- Durante as refeições e principalmente o jantar comemorativo procure falar a respeito de vocês, dos sonhos e dos planos para o futuro, aproveitando esse tempo para conversas agradáveis e não cobranças, acusações e brigas.
3- Procurar atividades que agradem aos dois e que possam ser feitas em conjunto para sair da rotina, como por exemplo, caminhar no parque, pegar um cineminha, dar uma namoradinha em um motel, passear na praia. Mas lembre-se que tudo deve ser feito na base da diversão e não da disputa, pois não somos rivais e não existe "o melhor" ou "o campeão" no casal.
4- Converse com o seu parceiro (ou parceira) sobre os seus problemas, ao invés de despejá-los sobre o outro. Se algo está acontecendo que possa vir abalar minha vida, conversar e expuser os meus sentimentos, ao invés de gritar "Não é da sua conta" ou "Não adianta, você não entende." Lembrar-me sempre que o fardo quando compartilhado é mais fácil de ser carregado.
5- Evitar "dar motivo" para brigas fazendo coisas que sei que a outra pessoa não gosta. Por exemplo, demorar muito para se arrumar e se atrasar ou deixar o banheiro bagunçado e o quarto desarrumado.
6- Respeite a individualidade do outro e permitir a ele momentos de solidão e reflexão quando estou em TPM quero ficar sozinha, recolhida em meu canto, mas não é por que eu não o amo, e sim porque quero te poupar do mau humor e da irritabilidade típicos desse período.
7- Evite criticar a minha família ou da outra pessoa amiga, pois não é só você, mas todo mundo exige respeito com a mãe, o pai e os irmãos, por mais diferentes e desagradáveis que eles sejam. Também não impeça que as crianças convivam com os avôs e tios.
8- Compartilhe da educação dos nossos filhos conversando antes de tomar qualquer decisão, para que um não acabe tirando a autoridade do outro, ou passando por cima da confiança do companheiro e das regras da casa. As mães, (assumo), por exemplo, têm o péssimo hábito de permitir que as crianças saiam sem a autorização do pai, daí, quando o marido chega a casa e não encontram os filhos a briga é inevitável.
9- Amplie a sua forma de ver o mundo, não enxergue tudo com os seus olhos e nem exija que os outros vivam ou ajam de acordo com o que você acha certo. O marido não é obrigado a gostar de comida vegetariana, e nem a mulher de assistir futebol no bar com os amigos.
10- Não fique junto de mim apenas por conveniência, pois um relacionamento é feito de amor, carinho, respeito e companheirismo. Se nada disso existe, é porque não há mais um relacionamento e sim uma convivência, que talvez até esteja extremamente desgastada e desprazeirosa para ambos.

Enfim espero que entenda meus motivos e que se escrevo este desabafo não é por que
Quero a separação, mas sim porque quero a perpetuação do casamento.
Quem quer que leia este texto espero que entenda que este escrito é apenas um desabafo.
Uma forma de por os sapos para fora e consertar algo que espero nunca acabar, pois sei que ainda existe muito AMOR.

LI

domingo, 22 de março de 2009

FRAZES DE GRANDES PENSADORES!!!!!!!!!!!!!

Mahatma Gandhi provou que "a roupa não faz o homem".
Ele só usava uma tanga, a fim de se identificar com as massas simples da Índia.
Certa vez, ele chegou assim vestido, numa festa dada pelo governador inglês.
Os criados não o deixaram entrar.
Ele voltou para casa e enviou um pacote ao governador, por um mensageiro.
Dentro continha um terno.
O governador ligou para a casa dele e perguntou-lhe o significado do embrulho.
O grande homem respondeu: "Fui convidado para a sua festa, mas não me permitiram entrar por causa da minha roupa.
Se é a roupa que vale, eu lhe enviei o meu terno."

Albert Einsten
"O problema de morar sozinho é que sempre é a nossa vez de lavar a louça"
"O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário."
"Grandes almas sempre encontraram forte oposição de mentes medíocres."
"Há duas coisas infinitas: o Universo e a tolice dos homens."
"No meio de qualquer dificuldade encontra-se a oportunidade."
"Procure ser um homem de valor em vez de ser um homem de sucesso"
"A teoria é assassinada mais cedo ou mais tarde pela experiência"
"A Matemática não mente. Mente quem faz mau uso dela"
"Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário"
"Os ideais que iluminaram meu caminho e sempre me deram coragem para enfrentar a vida com alegria foram a Verdade, a Bondade e a Beleza."
"A palavra progresso não terá qualquer sentido quando houver crianças infelizes"
"O tempo e o espaço são modos pelos quais pensamos e não condições nas quais vivemos"
"A realidade é uma ilusão, embora bastante persistente"
"Penso 99 vezes e nada descubro. Deixo de pensar, mergulho no silêncio, e a verdade me é revelada."
"A única coisa que interfere com meu aprendizado é a minha educação.Educação é o que resta depois de ter esquecido tudo que se aprendeu na escola"
"A imaginação é mais importante que o conhecimento."
"A coisa mais bela que podemos experimentar é o mistério. Essa é a fonte de toda a arte e ciências verdadeiras."
"A coisa mais dura de entender no mundo é o Imposto de Renda."
"O mais incompreensível do mundo é que ele seja compreensível. "
"A paz não pode ser mantida à força. Somente pode ser atingida pelo entendimento."
"Nunca penso no futuro, ele chega rápido demais."
"Existem apenas duas maneiras de ver a vida. Uma é pensar que não existem milagres e a outra é que tudo é um milagre".

Vou me tornar teu inimigo porque te conto a verdade?" Gálatas 4:16

"Não existe maior mentiroso que uma testemunha ocular" Provérbio soviético

"Diga a verdade e saia correndo" Provérbio Iugoslavo

"As dúvidas são mais cruéis do que as duras verdades" Moliére

"Uma longa viagem começa com um único passo" Lao-Tsé

"Estude as frases que parecem certas e coloque-as em dúvida" David Riesman

"Quando o dinheiro fala, a verdade cala" Provérbio Chinês

"Não concordo com o que dizes, mas defendo até a morte o direito de o dizeres" Voltaire

"Eu não preciso ler jornais, mentir sozinho eu sou capaz" Raul Seixas

"O conformismo é o carcereiro da liberdade e o inimigo do crescimento" John Kennedy

"Nossa geração não lamenta tanto os crimes dos perversos quanto o estarrecedor silêncio dos bondosos" Martin L. King

"Tudo já foi dito uma vez, mas como ninguém escuta é preciso dizer de novo" André Gilde

"Nunca se mente tanto como antes das eleições, durante uma guerra e depois de uma caçada" Otto von Bismarck

"Quem reconhece os próprios erros prova que hoje já tem mais sabedoria que ontem" T. Kempis

"O homem erra, o imbecil permanece no erro"

"A história é uma galeria de quadros em que há poucos originais e muitas cópias" Tocqueville

"A história dos grandes acontecimentos do mundo não é mais do que a história dos seus crimes" Voltaire

"Aquele que diz uma mentira não sabe a tarefa que assumiu, porque está obrigado a inventar
vinte vezes mais para sustentar a certeza da primeira" Pope

"O juiz é condenado quando o criminoso é absolvido" P. Ciro

"Ler sem refletir é comer sem digerir" Marquês de Maricá

"Conscientizar-se da própria ignorância é um grande passo para aprender" Disraeli

"O poder da observação cuidadosa é chamado cinismo por aqueles que não o possuem" G. Shaw

"O pensamento só começa com a dúvida" Roger Du Gard
"Certas derrotas tem mais dignidade que uma vitória" J.L. Borges

"A justiça atrasada não é justiça, senão injustiça qualificada e manifesta" Rui Barbosa

"As injúrias são as razões dos que não têm razão" Rousseau

"Há momentos em que silenciar é mentir" de Unamuno

"Tem gente que se acha honesta só porque não sabia nada" Millôr

"A opinião pública já mandou Cristo ao Calvário" Viana Moog

"O mentiroso faz dois esforços: mentir e segurar a mentira" J. Camargo

"Quem come da árvore do conhecimento sempre acaba expluso de algum paraíso" Inge

"Tudo o que vês é miragem. Procura a essência que não se vê" Gibran Gibrail "

A dúvida é o começo da sabedoria" Segurs

"Algumas pessoas nunca aprendem nada porque entendem tudo muito depressa" Pope

"Quem se senta no fundo de um poço para contemplar o céu, há de achá-lo pequeno" Han Yu

"Não basta conquistar a sabedoria; é preciso usá-la" Cícero

"Não podemos dizer que a civilização não progride: em cada guerra, matam-nos de maneira
nova" Will Rogers

"O afã da riqueza obscurece a noção do justo e do injusto" Antífanes

"Quem controla o passado, controla o futuro. Quem controla o presente, controla o passado" George Orwell

Nossa porção Inteligente

Ontem tive a oportunidade de ver como as pessoas que se dizem "RACIONAIS E INTELIGÊNTES" , agem em algumas situações, e o conceito de inteligência que nossa sociedade, aquilata é sempre baseado no grau de cultura das pessoas, ledo engano, pois , muitas vezes pessoas que não tiveram acesso ás universidades, são tão ou mais inteligêntes que alguém que não o teve.`
Após ter vivenciado duas situações no mesmo dia, decidi pesquizar mais á fundo sobre os conceitos INTELIGÊNCIA E RACIONALIDADE.
Primeira situação: sai ontem com amigos para almoçar e de repente nos deparamos com uma pessoa que por algum motivos não teve a chance de chegar aos bancos escolares, tendo uma atitude que foi definida por um amigo como burrice, na hora fiquei quieta e começei a pensar, não questionei meu amigo, que segundo ele se diz ser muito importante , um PHD em sua área, mas fiquei pensando e querendo chegar em casa o mais rápido possivel para começar minha pesquisa e levantar meus conceitos, mas não parou por ai .
Esse mesmo amigo quando chegou ao restaurante, estacionou o carro. Quando ele foi apanhar o carro para sairmos, começou um estardalhaço fenomenal, logo uma pessoa tão letrada,obviamente culto e inteligente, mas nem um pouco racional.
Talvez você já tenha vivido tal situação,chegar para pegar o carro, outro veículo está estacionado bem grudado ao seu, impedindo você de abrir a porta. O que fazer? Xingar, brigar? estressar-se? Essas talvez sejam atitudes mais comuns....... foi o que aconteceu ao meu amigo RACIONAL e INTELIGÊNTE......mas será que resolvem o problema?
As reações violentas são as que brotam mais facilmente e não chegam á lugar nenhum. No entanto, é importante pensar nas soluções possíveis em vez de piorar a situação.Há uma porta do outro lado do carro - que tal entrar por ela ? Eu lhe disse, pode dar um pouco de trabalho, mas funciona , e ele me respondeu, mas só um burro, idiota é que faria uma coisa como esta, fiquei quieta com meus pensamentos e com muita vontade de chegar em casa.
Em todas as situações da vida á sempre uma outra porta. Basta querer encontrar as saídas, não os culpados. Por isso. pense antes de despejar ofensas e xingamentos. Pense bem antes de remoer a raiva, porque isso nos embrutece. Além do mais, voçê também erra e, um dia, pode precisar da compreensão do outro. Como se diz, a vida dá voltas e , de repente, nos prega uma peça. Então vamos agir com inteligência e não reajir no calor da situação. Vamos nos acalmar.
tornar as coisas mais difíceis ou mais fáceis é uma decisão nossa. Se a vida impede-nos de entrar por uma porta vamos abrir a outra porta.

HIPOCRATES!!!!

Nem a sociedade, nem o homem, nem nenhuma outra coisa deve ultrapassar os limites estabelecidos pela natureza.
Os jovens de hoje não parecem ter respeito algum pelo passado nem esperança alguma para o porvir.

Minha pesquisa me levou ás seguintes deduções:

Nossa porção Inteligente.

Pude perceber duas coisas que diferenciaram os Japoneses – e seus descendentes – dos brasileiros. E por que somente um grupo pequeno de Japoneses faz sucesso comparando com a quantidade enorme de brasileiros? A cultura Japonesa exige MODERAÇÃO NA BOCA. Brasileiro fala demais. Fofoca demais. Conta demais. Brasileiro deduz muito também. Deduzir é ruim porque o acerto na dedução é ínfimo...( eu comecei com um fato e gerou um texto imenso. rsrs)
Acredito que, como ser humano, somos seres energéticos, que além dessa massa material que nos dá forma, somos, também, constituídos de energia. Quando digo energia, me refiro a esta força que, através de transmutação física, nos dá vida e segue gerando desenvolvimento contínuo, tanto como indivíduos quanto como seres humanos.Como seres humanos essa força nos leva desde a luta pela sobrevivência até a evolução e aprimoramento da espécie. Como isto acontece? O que temos a nosso favor? Qual a diferença que nos separa dos outros animais?O ser humano tem a seu favor a inteligência. Inteligência, não apenas em quantidade de Q.I. É claro que se procurou desenvolver um teste que medisse a inteligência das pessoas. Neste caso, os teste de Q.I. nos dá mais a quantidade do que a qualidade de inteligência, pois o teste deixa a desejar na avaliação da complexidade do pensamento humano. A inteligência emocional trata deste aspecto, procura compreender como o ser humano faz suas escolhas racionais associadas às suas motivações emocionais, como nós usamos nossa inteligência a favor do nosso desenvolvimento e crescimento pessoal.Então, o grande poder da inteligência que temos a nosso favor, é a complexidade do pensamento; é conseguir toda a espécie de conexão da qual somos capazes enquanto seres humanos. É conseguir colocar os instintos e as emoções sob controle da razão, mas sem racionalizar.Racionalizar seria usar a razão, através de um discurso muito bem organizado, para explicar o porquê de determinada atitude.Para que fique mais claro o que significa racionalizar, faço distinção entre entender e compreender. Entender quer dizer ter uma idéia clara sobre o porquê. Entendo e sei explicar porquê tive determinada atitude. Mas o entendimento não me dá o insight sobre minhas motivações interiores.
Eu consigo explicar minhas razões de forma bastante racional e lúcida, sem ser tocado pelas minhas motivações emocionais; consigo até explicá-las, mas não senti-las – não, pelo menos, no sentido amplo e profundo de todas nossas possibilidades.Compreender uma certa atitude é conseguir alinhavar razão e emoção. É ter o insight sobre minhas reais necessidades emocionais que me levaram a agir de tal maneira. É conseguir entrar em contato com as minhas emoções que me conduziram à determinada atitude. Consigo, ao mesmo tempo, explicar e sentir todas as nuances (ou pelo menos, a sua maioria) dos meus sentimentos que me moveram à minha ação; contendo os elementos – razão e motivações emocionais (muitas vezes inconscientes) – no mesmo pacote.
Na verdade, esta distinção é muito mais técnica, pois o nosso amigo Aurélio os coloca como sinônimos. Mas, percebo que compreender é conseguir ir mais fundo na percepção de determinada questão, enquanto que entender seria ter uma visão mais superficial da mesma.
Então, quando falamos em ser humano, falamos de um animal racional.
Como animal, somos instinto biológico lutando pela sobrevivência da espécie. Nesta luta há o combate com os outros animais, como também com o próprio homem, para a preservação da espécie e demarcação de seu território.
A capacidade de preservar e sustentar a vida é atributo do instinto;e que no seu nível mais animal do ser humano é bestial e irracional.
O lado racional deste animal, que somos nós, nos proporciona inteligência, que é a capacidade que o ser humano tem de encontrar significado para sua vida, que vai além da sobrevivência, ocorrendo através da Reflexão e da Religiosidade.
Religiosidade, não no sentido de se ter uma religião, mas na capacidade de se ligar ou re-ligar a uma energia maior, que podemos chamar de Deus, Cosmos... ou seja, à Capacidade Inteligente que rege o Universo, e que o mantém em devida harmonia e desenvolvimento constante.
E a Reflexão; eu, acredito que é um dos melhores caminhos .
É esta inteligência que nos permite ampliar e elevar nossa consciência, a partir do momento em que conseguimos utilizar mais a nossa capacidade de compreender os porquês das nossas necessidades emocionais - e o que a nossa razão nos dita - e, conseqüentemente, o resultado final: nossas escolhas e nossos comportamentos.
É a nossa porção inteligente que nos faz, enquanto seres humanos, cada vez mais desenvolver tecnologias para que possamos ter conforto e sofisticação para a nossa raça.Então, temos essa inteligência que quanto mais desenvolvida, mais nos permite compreender a vida e todas as situações, a nós mesmos e aos outros, e ajuda a nos distinguir, enquanto individualidades, nas relações e nas situações da nossa própria vida. E quanto mais o ser humano aprimorou sua inteligência – com aquelas conexões – dando cada vez mais significados para suas coisas e sua vida – mais ele – ser humano – afastou-se de seus sentimentos. Usando sua inteligência apenas, cada vez mais de forma racional, fria e cortante, sem o calor dos sentimentos.
Jung já dizia que onde há Amor não há Poder e onde há Poder não há Amor.
A inteligência deu ao ser humano o poder de dominar a Terra e todos os seus habitantes irracionais e outros seres humanos tido como mais primitivos.Em toda a história da humanidade vemos o ser humano subjugando o outro ser humano. E qual foi a arma, realmente potente, que os dominadores sempre usaram – desde os homens da caverna – para dominar? A inteligência.
O Poder do ser humano é a inteligência. Sempre, utilizada e aplicada, para subjugar através da imposição das suas verdades e doutrinando o povo vencido. E aí, parece que o ser humano esquizofreniza. Parece não ter mais senso de identidade preservado. A violência é apenas o sintoma. Em toda situação de violência – que vai desde o fato por mim relatado a seqüestros relâmpagos até o atentado de 11 de setembro – podemos perceber o descontrole e desequilíbrio energético que o ser humano vive na atualidade.
E parece ser isso que acontece na história da humanidade. Seja em países diferentes, ou até mesmo dentro do mesmo país – como no caso do Brasil atualmente – há pessoas vivendo em condição sub-humana e outras, vivendo como deuses caídos na terra, esquecendo-se que também são seres humanos. ( fato já citado no inicio do texto).
Parece que o desenvolvimento da tecnologia e da inteligência têm levado, mais e mais, o ser humano a um afastamento cada vez maior de si – de suas necessidades e motivações emocionais – como se houvesse um abismo entre sua razão e seus sentimentos.Vemos a inteligência entendida como sinônimo de Poder, usada em prol da subjugação do forte contra o fraco. O forte “instrumentalizado” pela inteligência e pela tecnologia, e o fraco, deficiente de tais recursos. Esta é a história da humanidade. O que, no princípio desta história, era uma questão de sobrevivência, tornou-se movimento automático, que perdura até hoje, como se fôssemos homens da caverna ou bárbaros da idade antiga.Mas, o que nos traz grande alívio e perspectiva da salvação para a raça humana é ver os movimentos de “voluntariado”, lembrando-nos que somos, sim, seres humanos e que todos somos um. Aquele que está sofrendo na condição sub-humana é um irmão nosso. Encontramos, aí, o Amor. É o lado saudável do ser humano que quer a cura e reintegração da unidade.Então, percebemos um maniqueísmo no desenvolvimento do ser humano: essa divisão entre poder e amor, como fosse antagônicos, como o próprio Jung disse.
Então, eu volto a perguntar: O que temos a nosso favor diante deste cenário?A resposta continua sendo a mesma: a Inteligência – só que, agora, com “i” maiúsculo! A Inteligência com “i” maiúsculo é a capacidade que nós, seres humanos, temos de nos perceber fazendo parte de um todo maior; onde não existem vencedores e vencidos; onde se um perde, todos perdemos. (Sabe aquela história do microcosmo e macrocosmo?!)É a Inteligência que nos fará romper com este comportamento “animal”, que acontecia nos primórdios, pela necessidade da sobrevivência.Então, temos, também, a Inteligência que tem a função de nos fazer perceber toda a dinâmica energética, que organiza o Universo numa integração do seu Todo de forma harmônica e de evolução contínua, da qual, simplesmente, fazemos parte. É essa Inteligência que nos fará conseguir integrar Poder e Amor, num “mix” homogêneo.Mas, como faremos isso?Quando se fala que cada um tem que fazer a sua parte (naquela questão do voluntariado, por exemplo), na verdade, é neste sentido mais profundo, de resgate de si enquanto indivíduo – seu senso de identidade. Quando, eu salvo a outra pessoa de sua miséria, estou salvando, verdadeiramente, a raça humana – a mim mesmo.( este é o verdadeiro conceito de cidania).E, se cada indivíduo – um ser humano – fizer este trabalho consigo mesmo e oferecer à humanidade, elevaremos a vibração energética e a consciência da humanidade. Quando aprendemos a usar a Inteligência (com “i” maiúsculo) no próprio desenvolvimento individual, aprendemos a responder à vida de forma mais evoluída e madura, eliminando de nossas vidas os equívocos e maus entendidos; compreendemos, claramente, o significado das situações em nossas vidas e aprendemos que as situações não existem para que, simplesmente, soframos, mas, sim, que as encaremos e as resolvamos, assumindo, assim, total e absoluta responsabilidade sobre nossa vida.É para isto que serve a nossa porção Inteligente!Você a está usando??Bem, agora acho que aprendi né, depois de ler muito e por os neurônios para funcionar rsrs)? Desejo-te muita, muita, muita, boa sorte...

Nunca existiu uma grande inteligência sem uma veia de loucura. Aristóteles

LI

sábado, 21 de março de 2009

Às favas com o amor! Eu quero é ser feliz...

Pois é... a sensação que tenho tido, nos últimos tempos, é de que essa busca pelo grande amor, pelo par ideal, pelo príncipe encantado, pela felicidade infinita – que deveria ter se configurado como um caminho edificante e enobrecedor – tem servido bem mais para transformar a vida de um grande número de pessoas numa insanidade que é, sobretudo, ineficaz. Basta repararmos um pouco mais atentamente na enorme confusão que tem sido tantas relações (com suas intermináveis tentativas de nomenclaturas) e terminaremos por concluir que nisso tudo tem algo que precisa ser revisto, reavaliado e reconduzido. Se estudarmos um pouco mais profundamente a história da humanidade, não demoraremos a descobrir que o comportamento entre homens e mulheres, incluindo o desejo sexual e suas mais diversas manifestações, passou por algumas transformações significativas antes de chegar neste cenário em que vivemos atualmente. Se no começo tudo era uma questão de sobrevivência e perpetuação da espécie, não há muito tempo nasceu o desejo pelo conforto, pela fartura, pelo bem-estar. Eis também o nascimento do amor romântico e dessa tão visceral busca pela felicidade, que passou a ganhar um sentido bem mais amplo e refinado do que tinha até então. Daí para alcançarmos este ritmo alucinante de mudanças, não demorou quase nada. Bem menos de um século apenas. E neste momento vivemos como que em meio a um furacao, recheado de dúvidas, incertezas, inseguranças, expectativas e perspectivas cujas bases estão trincadas, em plena reforma.E a pergunta se repete, incessantemente: por que tem sido tão difícil viver esse tal grande amor?
Por que embora esse pareça ser o maior desejo da grande maioria, o que reina são os desencontros?
Talvez você também já tenha vivido contradições profundas como essas. Talvez já tenha acreditado piamente que tudo o que mais desejava era amar e ser amado e, diante desta possibilidade, não soube o que fazer, ou fez tudo errado...
Talvez já tenha dito para si mesmo, incontáveis vezes, que prefere ficar só, desfrutar de sua liberdade, preservar seu espaço e sua individualidade e, cara a cara com seu espelho, sentiu medo da solidão ou o peso quase insuportável da falta de um abraço...
E nesses momentos, convencido (?) pela atual corrente de pensamento que afirma que tudo só depende de você, o conflito interno é praticamente inevitável: o que eu realmente quero?
Se depende só de mim, por que será que as pessoas influenciam tão diretamente no modo como me sinto?
E se a responsabilidade pelo que me acontece é somente minha, por que nem sempre alcanço os resultados para os quais tanto me dediquei? Não sei... mas diante de todos esses pontos de interrogação, tendo a concluir que este é um momento da história das relações de completa metamorfose. O que era antes não é mais. O que será ainda não sabemos. Agora, somos homens e mulheres repensando seus papéis, seus desejos, seus lugares dentro dos encontros amorosos, da família e da vida em geral. O problema, então, talvez seja o apego e o anseio por uma idéia de grande amor que é incompatível com a realidade atual.
Um grande amor que não seja castrador e submisso como o que viveram nossos avós, mas que também não seja tão livre e descomprometido como este que temos experimentado nas últimas décadas.
De preferência, que seja intenso, romântico, perfeito, cheio de encanto e paixão, como descrevem os poetas e compositores ou mostram os filmes das telas dos cinemas...
Daqueles que chegam e nos arrebatam de uma vidinha que não temos suportado carregar sozinhos (porque é exatamente assim que tenho visto muita gente esperar por um grande amor).
Ah! E que seja para sempre, claro! Não percebemos que essa busca não é coerente com as atitudes que temos tido ou com o modo de vida que temos adotado. As engrenagens externas estão desencaixadas das internas. Os ritmos estão desencontrados. O que se deseja comprar não é o que está à venda e ainda assim pagamos o preço para ter o que está nas prateleiras. Estamos perdidos entre sentir, querer, fazer, parecer e, enfim, ser!
Tudo bem... acho até que não daria pra ser muito diferente disso, já que a fase é de profundas mudanças, mas aposto que o caminho poderia ser bem mais suave e prazeroso se parássemos de acreditar que o “grande-amor-dos-contos-de-fadas” é a solução na qual devemos investir toda a nossa existência.
A insanidade (que é o que mando às favas, na verdade) fica por conta dessa insistência em acreditarmos que amor é um ‘estado civil’ qualquer que devemos atingir e, uma vez nele, a felicidade é certa. Não é!
Felicidade é aquela que temos a oferecer e não aquela pela qual temos esperado. E é também bem mais incerta, imperfeita e inconstante do que temos imaginado. Simplesmente porque somos gente e gente é assim: incerta, imperfeita e inconstante. E quando, finalmente, aceitarmos esse fato, creio que teremos começado a compreender o que é o amor...

LI

O seu dia vai chegar!

A vida é mesmo incrível e imperdível! Os opostos e aparentemente contraditórios contêm em si sabedoria e verdade. Afirmo isso pensando justamente em dois ditados que, embora gramaticalmente se anulem, na prática do viver servem para nos mostrar o quanto é imprescindível apreender cada instante para que, enfim, o grande dia chegue!


“Quem procura, acha!” e “Pare de procurar, e encontrará!”



É bem possível que essas duas sugestões já tenham funcionado com você. Mas também é muito provável que você se questione recorrentemente sobre como saber quando continuar procurando e quando parar de procurar?
A questão é que queremos certezas, e é bom partirmos da premissa de que certezas não combinam com vida, sucesso, realização, desejo, felicidade, amor ou qualquer uma dessas essencialidades humanas. Nesses casos, nesses tão extasiantes casos, haveremos de arriscar e apostar toda a imponderável imperfeição de uma alma em evolução, em todos os níveis - porque é o que temos, ou melhor, é o que somos!
Portanto, esteja você em busca de uma nova carreira, de um grande amor, de mais rendimentos financeiros, de um sentido maior para sua existência ou de um outro ritmo para tudo o que já existe, siga o fluxo, feito persistente e sábio rio, que confia e simplesmente se deixa levar até o lugar onde há de se tornar gigante.
Além de tornar o processo muito mais criativo e produtivo, você reconhecerá, a partir de escolhas cada vez mais íntegras e conscientes, que sabe bem menos do que supõe e, ainda assim, está bem mais perto do que acredita, especialmente quando consegue transformar a angústia da espera em conforto: o exercício de viver o que há para ser vivido e só.
E por tão belamente ter me permitido essa constatação – ainda que com medo de não conseguir – afirmo e exclamo: seu dia vai chegar!
Mas não pense que de um nada que você faça, nem tampouco de um desespero com que possa vir a fazer. Sobretudo desvendando a direção, dia após dia, com cada um de seus tropeços e com cada arranhão decorrente de suas tão particulares e secretas quedas.
Porque este é o mapa, o indicador do caminho, a seta que lhe conduzirá ao que tanto você deseja, esteja à procura ou à espera, mas sempre, sempre, considerando que cada dia é parte indispensável e intransferível de sua chegada!
E fico torcendo para que você se sinta como eu me sinto – radiante! E que seja, por fim, como tão delicada e encantadoramente escreveu Eça de Queiroz:


“(...) sentia um acréscimo de estima por si mesma,e parecia-lhe que entrava enfim numa existência superiormente interessante,onde cada hora tinha o seu encanto diferente,cada passo conduzia a um êxtase,


LI